Friday 20th October 2017,
Veterinário Fernando Ibanez

PORQUE SOU CANDIDATO E O QUE PRETENDO

PORQUE SOU CANDIDATO E O QUE PRETENDO

PORQUE SOU CANDIDATO E O QUE PRETENDO – Por Fernando Ibañez

Há cerca de 3 anos, decidi ser candidato a Deputado Estadual pelo meu estado atual, Paraná. Ninguém, além de alguns familiares e um grande amigo, que também é meu líder de campanha, ainda me perguntou o porque dessa decisão ou o que pretendo com ela.

Acredito que existe uma etapa na vida das pessoas em que elas passam a refletir sobre o que fizeram durante sua existência e o que ainda podem fazer no que resta dela. Nos últimos 5 anos tenho refletido muito sobre o que eu fiz ao longo de meus pouco mais de 40 anos e o que eu poderia fazer com os próximos, espero, pelo menos mais 40.

Modéstia à parte, penso que fui um bom professor nesses anos todos. Essa tem sido minha principal atividade profissional desde que concluí meu programa de residência.

Ao longo desses anos fui agraciado com homenagens e demonstrações de carinho, que, penso, são o reflexo de minha dedicação e influência sobre meus alunos. Também fui convidado e ocupei cargos dentro das Universidades nas quais trabalhei, que refletem minha responsabilidade.

Em 2012, depois de 13 anos participando como membro de diversas Comissões Executivas da Associação dos médicos veterinários de São Paulo, decidi que era hora de tentar impor minhas idéias e fui eleito Presidente da associação. O desafio de elaborar um plano de atividades; elencar  prioridades; propor metas; escalar uma equipe de Diretores; liderar e, especialmente, continuar o régio trabalho de meus amigos e mestres antecessores, me enfeitiçou. A missão diária de discutir como caminham os planos, transpor obstáculos e descobrir, junto com minha equipe, novas rotas e alternativas tem despertado em mim a necessidade de alçar vôos mais distantes.

Durante minha gestão como Presidente da Associação, tive também a oportunidade de dirigir as duas unidades do primeiro hospital veterinário gratuito do Brasil. Uma parceria entre a Associação que presido e a Prefeitura do município de São Paulo, com orçamento, em 2016, de aproximadamente 12 milhões de reais. As duas unidades do serviço veterinário gratuito realizaram, ao longo destes quase dois anos de atividades, mais de 600 mil procedimentos. Foram atendidos mais de 80 mil animais e realizadas mais de 30 mil cirurgias.

O serviço veterinário gratuito em São Paulo é, sem dúvida, um sucesso. Um fato muito motivador é o bem que conseguimos fazer para as pessoas. Prioritariamente e, em sua esmagadora maioria, são atendidas pessoas carentes, que nunca poderiam levar seus animais de estimação ao veterinário. Aqui misturam-se dois eventos muito gratificantes: saber e ver o quanto é simples fazer alguém sorrir por ajudar e cuidar de animais que certamente morreriam se não fosse esta ação e ajudar os animais.

O Serviço veterinário gratuito não consegue atender a todas as pessoas carentes de São Paulo, tampouco a todos os animais que necessitam veterinários. Ainda que houvesse dezenas de unidades, seria pouco. O que falta então?

Falta que as pessoas precisem menos desse tipo de atendimento; que possam ter melhores condições financeiras e sociais;

Falta que outras localidades do País, no caso nosso Estado do Paraná, implantem atitudes como esta da cidade de São Paulo, provendo atendimento veterinário aos animais de pessoas que não podem pagar;

Falta que as pessoas sejam educadas para a guarda responsável de animais de estimação; que tenham a real noção do que é tutelar a vida de um companheiro que as acompanhará por mais de 10, 15 anos;

Falta que aqueles que têm desordens mentais e acumulam animais sejam identificados e o Poder público, em ação conjunta com as forças de ação social, proteção animal e zoonoses, atuem para conscientizar familiares e tratar dos acumuladores;

Falta que lutemos por um convívio saudável entre pessoas, animais e meio ambiente, cuidando para que nossa existência possa perdurar por muitos mais milênios no Planeta.

Ter acesso ao espantoso número de pessoas carentes atendidas no serviço veterinário gratuito instigou minha vontade de tentar deixar um legado maior do que tenho deixado aos meus alunos; me instigou a tentar fazer algo maior do que tenho feito; a tentar fazer algo maior que simplesmente identificar problemas e dificuldades.

Atualmente, sou candidato a vereador em Curitiba. Dentre as ações que tenho em mente e que hoje são minhas prioridades, sugiro que as dificuldades das pessoas carentes e seus animais sejam abordadas em pelo menos 3 frentes:

-      educação: em todos os sentidos; mas especialmente voltada à questão da guarda responsável e convívio humanitário. Neste quesito, lutar para inserir, na grade curricular, aulas e temas relacionados à importância do convívio com os animais. Esclarecer sobre os cuidados e necessidades relacionados ao bem estar animal e que eles deverão durar por muitos anos. Cada criança ainda não foi ensinada; e, ao aprender, dispersa a informação a todos ao seu redor agindo como um catalisador de informações e atitudes

-      identificação dos animais e seus tutores: através de programas de identificação dos animais e seus tutores (chipagem) será possível rastrear os animais errantes e educar e punir seus tutores. Programas continuados de informação e educação deverão ser implantados para que as pessoas que possuem animais saibam de suas responsabilidades e cuidados com ele; e, para os que não possuem tomem ciência do que é adquirir um animal de estimação e não o façam por impulso

-      Programas sanitários: os animais de pessoas carentes precisam ser cuidados. O Estado precisa ajudar as pessoas que não podem pagar pelo atendimento de seus animais. Esta etapa será possível com a implantação de serviços veterinários gratuitos, custeados pelo Poder público e privado.

Resumidamente, são estas as razões que me motivaram e mantêm entusiasmado pela vida pública: agir em prol de uma comunidade mais igualitária e agradável para todos que nela vivem.

 

Like this Article? Share it!

About The Author

Leave A Response